Ser previdente é planejar o futuro, seja para a compra de uma casa, um automóvel, um outro bem ou serviço e, principalmente, para as despesas após a fase do período laboral. Para tanto, é necessário começar bem antes, de preferência, desde a infância, aprendendo a poupar e praticando o planejamento financeiro em todas as etapas da vida.

O quanto antes se aprende e se coloca em prática a habilidade de planejar o futuro, maior a possibilidade de se alcançar objetivos de vida e ter desejos realizados em menor tempo.

Para que isso se torne um hábito é necessário buscar informações e conhecimento, além de obter ferramentas que auxiliem no exercício de se planejar, afinal, a educação também é um instrumento de mudança social e de autonomia individual.

CAPESESP, alinhada com essa premissa, apresenta alguns temas com o objetivo de estimular o desenvolvimento da cultura previdenciária, fomentando, entre outras coisas, a importância do autocuidado financeiro e a necessidade do planejamento orçamentário pessoal e da poupança de longo prazo.

Neste espaço estão sendo disponibilizados cursos, vídeos, cartilhas e outras ferramentas que irão ajudá-lo a entender esses conceitos e aplicá-los no seu dia a dia.

Esperamos fazer parte desse futuro junto com você. Faça bom proveito!

 

PLANEJANDO SUA VIDA FINANCEIRA

 

Por que se planejar?

  • Favorecer o bem-estar físico e mental evitando sentimentos de ansiedade e estresse que decorrem da falta de controle financeiro;
  • Antecipar-se a gastos sazonais conhecidos (IPTU, IPVA, material escolar, dentre outros);
  • Prevenir situações inesperadas (desemprego, gastos médicos etc.)
  • Alcançar objetivos e realizar desejos;
  • Garantir segurança durante a aposentadoria / Não depender apenas do sistema público de previdência;



A principal razão para o desequilíbrio orçamentário é gastar além daquilo que a renda permite. Para evitar que isso aconteça, é importante fazer uma análise das despesas e estabelecer prioridades, de modo que o orçamento volte a se equilibrar e as metas estabelecidas sejam alcançadas.

É recomendado ter atenção especial com as despesas corriqueiras, aquelas de pequeno valor, que vistas separadamente não têm peso, mas somadas ao final do mês são um dos principais motivos do rombo no seu orçamento. Se você analisar bem, chegará à conclusão de que muitas delas são passíveis de redução, ou mesmo de eliminação por serem supérfluas.

Importante: Para alcançar o resultado esperado é indispensável que todos os membros da família avaliem as medidas a serem adotadas e se comprometam com as metas estabelecidas.

 

Então, como organizar minha vida financeira?

  • Planeje o seu orçamento familiar com definição de metas - deve ter o compromisso de todos os membros da família

Seu orçamento precisa ser um registro físico ou eletrônico. Pode ser feito em um caderno se você preferir, mas o ideal é utilizar uma planilha ou aplicativo próprio para esta finalidade (veja a planilha que oferecemos abaixo);

  • Evite desperdícios nas despesas fixas (luz, água, telefone, internet, dentre outras);
  • Corte ou reduza gastos com as despesas variáveis e eventuais (combustível, restaurante, viagens, vestuário etc.);
  • Fuja dos endividamentos – despreocupação com o futuro custa caro. Avalie com seriedade e responsabilidade a necessidade de se endividar por meio de linhas de financiamento ao consumidor. Dívidas com cheque-especial, uso do limite da conta corrente e cartão de crédito devem ser evitadas a todo o custo pois cobram juros exorbitantes. Considerando a praticidade do seu uso, deve-se considerar a eliminação de sua contratação junto as instituições fianceiras;
  • Mantenha o pagamento das contas em dia – Várias instituições adotam um sistema de cobrança com desconto até o vencimento, e após essa data os valores costumam sofrer aumentos, que em alguns casos são absurdos;
  • Fique atento aos supérfluos – lembre-se do amigo que comprou uma bicicleta ergométrica que virou "cabide" e não se deixe levar por rompantes de consumismo.
     

Ferramentas para auxiliar no seu planejamento financeiro

Os benefícios de ter uma vida financeira organizada dependem de algum esforço e até de algum sacrifício. Seja para não efetuar um gasto que possa ser evitado ou para investir uma parte do seu tempo para adquirir conhecimento e para se planejar financeiramente.

O importante é reconhecer que esses esforços compensam pois resultam em hábitos de consumo mais saudáveis. Você já chegou ao meio do mês completamente ‘duro' e sem saber como gastou sua renda?

Planejamento e consumo consciente promovem o bem-estar emocional e uma vida material mais plena. Já pensou a diferença que faz, por exemplo, poder dar um presente numa data importante porque foi capaz de evitar um gasto que faria ter que pagar juros?

 

Cursos

 

Cartilhas

 

Dica de Leitura

 

Palestra

 

Planilha de orçamento doméstico

 

 

PENSANDO EM SUA APOSENTADORIA

Pensar na aposentadoria desde cedo é essencial. A formação de uma poupança que possa complementar a sua renda de forma minimamente adequada depende de tempo, pois é ele que possibilita que a rentabilidade aumente o patrimônio do qual a renda complementar será obtida.
 

Por que investir em Previdência Complementar?

A maior parte das pessoas não tem o hábito de se preparar para a vida no longo prazo. A Previdência Privada ou Complementar enseja exatamente isso: acumular gradativamente recursos por um período de contribuição, ou capitalização, para numa dada idade, quando se aposentar, iniciar o período de recebimento ou gozo do benefício.

 

Quais são as vantangens de aderir a um Plano de Previdência Complementar Patrocinado?

A principal vantagem é a garantia de uma renda mensal no futuro, adicionalmente ao benefício da Previdência Social, que tende a ficar cada vez menor, possibilitando mais segurança financeira ao Participante e aos seus familiares, no final da carreira profissional.
 
Conquistar esse patamar sozinho exige muito esforço e a ajuda da Patrocinadora torna o processo bem mais fácil. No entanto, poucas pessoas têm a chance de fazer parte de um fundo de pensão, em que o empregador divide com os seus trabalhadores a formação de uma poupança para garantir melhor qualidade de vida quando a aposentadoria chegar.
 
O incentivo fiscal é outro ponto a ser destacado. Por previsão legal, as contribuições realizadas para o Plano podem ser abatidas da base de cálculo do Imposto de Renda.
 

 

Vamos aprender mais sobre esse assunto?

Cursos

 

Cartilhas